Afinal de contas, o que é marketing de rede? Você sabe?

Era uma quinta-feira à noite e eu estava muito animado porque reencontraria amigos antigos no fervoroso Baixo Gávea (point de jovens da zona sul carioca). Estava mais entusiasmado do que o normal – afinal era a primeira vez que encontraria este grupo de amigos depois de ter aberto meu negócio de Marketing de Rede.

Na ocasião, poucos sabiam da novidade: em um grupo de sete pessoas eu só tinha conversado com uma delas.  Justamente essa decidiu por ela mesma anunciar a todos que eu agora era um “ vendedor”. A princípio, fiquei com um pouco de raiva – ei cara, não sou só um vendedor, sou um empresário agora, tenho uma grande oportunidade em minhas mãos”. Esta foi minha resposta rápida para o grupo que ali estava. Afinal, tinha que manter um alto padrão no imaginário dessas pessoas, queria todas elas comigo como sócios porque eram meus amigos e os queria junto.

Claro, isso causou curiosidade nelas. “Como assim”?”, me perguntaram. Respondi com o pouco que eu entendia do negócio e falei:

– Investi em uma microfranquia de uma empresa de um segmento incrível, que não tem crise”.

De fato, eles não conheciam a microfranquia, ficaram curiosos, se mostraram atentos e eu continuei.

-Pois é, eu descobri uma maneira de ganhar royalties sobre o consumo diário das pessoas. Vejam que maravilha – quase 100% das pessoas que eu conheço de uma maneira ou de outra consomem algum produto da empresa que escolhi, e os produtos são muito bons. Eu mesmo estou usando –  o preço e a qualidade são ótimos.

Neste momento, para não entregar tudo de mão beijada e acabar com o sentimento de curiosidade, decidi desconversar e puxar outro assunto.

– É um ótimo negócio e estou feliz, mas hoje é dia de BG (Baixo Gávea) e quero relaxar um pouco, conversaremos melhor em outro momento.

Poucos dias se passaram e eu comecei a entrar em contato com cada um deles para poder explicar o que eu tinha percebido de tão interessante neste projeto e o porquê de eu ter entrado em um ramo tão diferente do meu ( na época era Engenharia Civil – para quem não sabe leia-se obra, poeira e cimento), bem distinto do segmento de microfranquias, não é mesmo?

Consegui marcar com eles reuniões em minha casa, onde preparei slides e muitos produtos para que pudessem atestar a qualidade e sentirem o que eu estava sentindo. Eram reuniões de aproximadamente 1 hora, onde eu explicava enfim o que era o até então pouco conhecido (até hoje ele é pouco entendido) Marketing de Rede. E é o que eu vim, de uma vez por todas, depois de três anos falando sobre isso dia e noite, explicar para você. Está pronto?

          O negócio do século XXI foi um divisor de águas na minha vida

Robert T. Kiyosaki, um dos maiores autores de finanças pessoais do mundo e grande palestrante, autor de Pai Rico, Pai Pobre ( Rich Dad), escreveu um livro inteiro dedicado ao tema, escolhendo como título: O negócio do século XXI. E ele explica o que é esse negócio do século que estamos vivendo e eu me pergunto porque é tão proeminente assim para que o grande Kiyosaki o tratasse de forma tão especial? Grande, sim, porque o considero um dos responsáveis pela mudança da minha percepção pessoal sobre riqueza, após a leitura de Pai Rico, Pai Pobre, há cerca de 5 anos.

Para quem não sabe, no seu primeiro grande livro, o já citado Pai Rico, Pai Pobre, Robert explica através de uma linguagem lúdica e de fácil entendimento as vantagens de ser dono de seu próprio negócio. E afirma, categoricamente, que o segredo para a riqueza é encontrar uma maneira de sair do lado dos empregados e autônomos para entrar no lado dos empresários e investidores. O livro é tão bom que realmente me fez tomar a decisão de ter um negócio próprio. Mas senti que faltava algo nesta leitura, faltava a solução, faltava o negócio em si.

Qual negócio eu, um estudante universitário sem estágio, poderia abrir? Como eu ficaria rico se todas as ideias de aplicativos que eu tinha já existiam -e eu nem entendo nada de aplicativos? Como eu ia ser empresário se eu não tinha capital, experiência em vendas ou em liderança? Onde eu poderia encontrar tudo isso? Eis que encontro a solução para os meus problemas em um próximo livro do autor- O tal do Negócio do Século XXI, o tal do Marketing de Rede.

Neste livro o autor começa pontuando as mudanças na economia advindas da tecnologia e afirma que as regras mudaram – de fato mudaram e muito- mas isso é tema para outros artigos. Em seguida dá oito motivos, oito ativos que este modelo de negócio pode trazer para você e o porquê de ser um grande negócio. Antes de trazer definições do que é o Marketing de Rede, pontuarei aqui os oito ativos com minhas palavras, resultado do que pude vivenciar na pele nestes três anos como empreendedor.

Ativo 1:

Educação do mundo empresarial real

Dentro do dia a dia de um profissional em Marketing de Rede vendas, negociações e liderança se fazem presentes. Para que novos empreendedores (muitos como eu, sem experiência) deste segmento possam avançar há diversos cursos, palestras e treinamentos transformadores que são subsidiados ou pela empresa, ou pela equipe do franqueado. Aprendemos então a teoria do que é preciso para se tornar um verdadeiro homem ou mulher de negócios. E como para ter sucesso é preciso colocar em prática toda a teoria, participamos de uma verdadeira escola de negócios. Claro que, como todo curso, o aprendizado é complexo e bem difícil – afinal, frustrações e decepções fazem parte da rotina dos empresários e é bem isso que sentimos na pele. Portanto, esteja pronto para persistir. Sim, persistir é preciso!

Ativo 2:

Um caminho lucrativo para o desenvolvimento pessoal

Como foi falado acima o caminho não é fácil, exige esforço, foco e tempo, por isso vai requerer muito desenvolvimento pessoal e resistência emocional. No entanto, enquanto toda essa transformação (a verdadeira transformação de vida deste negócio não é o dinheiro e sim o desenvolvimento pessoal) acontece, o dinheiro entra. Aqui não é preciso estar pronto para ganhar dinheiro, se ganha enquanto se prepara. Mágico, não é mesmo?

Ativo 3:

Um círculo de amigos que compartilham seus sonhos e valores

De fato, um dos grandes ativos que encontro nesta jornada é o poder do grupo. Encontrar pessoas motivadas, sonhadoras e determinadas não tem preço; a energia que isso traz faz com que você ganhe, a cada encontro, uma sobrevida para continuar correndo atrás do seu próprio sonho, é como um ciclo de motivação muito poderoso. Afinal, é bom sentir que não estamos sozinhos no barco.

Ativo 4:

O poder de sua própria rede

Os grandes milionários do mundo não ficaram ricos com um único ponto de venda ou uma única loja, eles o fizeram possuindo uma rede de centenas ou milhares de unidades e este é o grande lance do Marketing de Rede: poder criar sua própria rede, poder ter milhares de pontos de vendas e tudo a partir do seu trabalho.

Ativo 5:

Um negócio duplicável, totalmente escalável

Para se criar fortuna com negócios é preciso pensar em escala, ou seja, como fazer com que seu produto ou serviço atinja muitas pessoas ao mesmo tempo. Se você tem um negócio escalável e consegue fazer esta escala acontecer, parabéns, você tem uma máquina de fazer dinheiro. E imagine, o negócio de Marketing de Rede é extremamente escalável, esta característica faz realmente com que seja um negócio grandioso, muito maior do que a venda de porta em porta somente.

Ativo 6:

Habilidades incomparáveis de liderança

Quando você começa a formar uma equipe do zero, ativando nos membros sonhos esquecidos e os ajudando a alcançar metas e cifras antes inatingíveis, você aprende muito sobre liderança. É a liderança na veia, aquela que você fala em público incendiando corações, aquela que no íntimo, na casa dos seus sócios ou em conversas via telefone você inspira e incentiva os mesmos a continuar lutando. É quase poético o trabalho de um líder dentro deste modelo, você adoraria experimentar a sensação de ver seus sócios que acreditaram em você realizando sonhos. É fenomenal!

Ativo 7:

Um mecanismo para geração de riqueza verdadeira

Quando se trata de riqueza, sempre analiso alguns aspectos. Primeiro, se o dinheiro vem de forma ativa ou passiva. Se vem de maneira ativa (a hora de trabalho é remunerada), independente do valor, não considero este ganho fonte de riqueza, porque se vende o maior ativo que existe no mundo, que é a sua própria vida. E, creia, um segundo, um minuto ou um dia jamais voltam. Agora, se vem de maneira passiva, aí sim é um grande sinal de possível formação de riqueza. Afinal, a verdadeira riqueza neste mundo é poder usufruir o seu tempo como você quiser. Esta faceta do Marketing de Rede é impressionante e, o melhor, é real, é possível.  

Ativo 8:

Os grandes sonhos e a capacidade de realizá-los

Logo no início é indicado desengavetar os sonhos e criar um quadro com imagens que os retratem. Chamamos de quadro dos sonhos. E quer algo mais maravilhoso que poder sonhar? De ser incentivado a sonhar grande? Pois é, muitos de nós brasileiros já perdemos esta capacidade porque a realidade é tão dura que nem a sonhar nos atrevemos mais. Portanto, recuperar o sonhar para as pessoas já é, por si só, dar-lhes  uma nova vida.

Mas quais as definições do Marketing de Rede? O que é mesmo?

Está bom, Vinicius, você falou de todos os ativos, mas até agora não entendi muito bem o que é o tal do Marketing de Rede. Bom, vamos às definições:

Segundo o site Dicionário informal, o Marketing de Rede “é uma oportunidade de pessoas simples atuarem como franqueadas de um produto/empresa de forma profissional “. Uma atividade que fazemos desde que nos sentimos consumidor (você nunca indicou um pedreiro, um filme, uma pizzaria, um médico, um mecânico para um(a) amigo(a) ou parente)?

Quando você se associa a uma empresa de Marketing de Rede (também chamado Marketing Multinível ou Network Marketing), se torna dono de uma franquia pessoal e pode trabalhar com o sistema de marketing da empresa.

“O sistema dispensa publicidade da empresa e o dinheiro empregado na propaganda é usado para pagar os bônus de seus membros participantes nesse sistema. ” (Zambrosa, 2008)

Para John Fleming, coautor de O negócio do século XXI, ex-arquiteto e especialista em Marketing de Rede com mais de 40 anos de experiência, o Marketing de Rede é tão brilhante quanto simples, porque em vez de gastar toneladas de dinheiro com agências e canais de comercialização para promover produtos ou serviços, porque não pagar aos fãs desses produtos para que façam propaganda deles?

Isso é exatamente o que uma empresa de Marketing de Rede é: devolve uma parte de cada centavo recebido da venda para seus representantes independentes, que normalmente também são os consumidores mais comprometidos e entusiasmados de seus produtos. (Kiyosaki, 2017)

Para mim, o Marketing de Rede é um sistema justo e ILIMITADO que paga comissões pelo que foi movimentado por uma rede de distribuidores que fazem o giro do produto/serviço para consumidores finais e que, atravésdo boca a boca, colaboram para que a empresa cresça e crie um verdadeiro exército de vendas. Ou seja, ao invés de a empresa contratar mil vendedores que vendem dez mil reais por mês, ela opta por ter dez mil consumidores que distribuem mil reais por mês. Os números se invertem, mas o resultado é o mesmo.

Depois dessa fatídica quinta feira minha carreira começou a deslanchar, pois a cada reunião melhorava a minha maneira de explicar e entender o Marketing de Rede. Então, fica uma dica final para você que tem algum interesse neste modelo de negócios: procure entender o que você tem nas mãos e o que está oferecendo para as pessoas. Busque aprender.

Obras citadas:

-Kiyosaki, R. T. (2017) O negócio do século XXI. Rio de Janeiro: Atla Books Editora.

-Zambrosa, P. (19 de Janeiro de 2008). Marketing de Rede. Acesso em 22 de Novembro de 2018, disponível em www.dicionarioinformal.com.br: https://www.dicionarioinformal.com.br/marketing+de+rede

Por favor nos acompanhe e curta:

    1 Response to "Afinal de contas, o que é marketing de rede? Você sabe?"

    • Avatar Renan Monjardim

      Prezado Vinicius,

      Iniciei a leitura de “o negócio do século XXI” recentemente e me surgiram dúvidas iniciais que você talvez possa me ajudar.
      Qual empresa você é “franqueado”?
      John Fleming é dono de qual(s) empresa(s) de vendas diretas?

Leave a Reply

Your email address will not be published.